31 de julho de 2008

Welcome B(a)eck

Por alturas do meu secundário, dentro do meu grupo de amigos, quando falávamos sobre música eu era conhecido por ser o maior apreciador da obra musical de Beck.
Penso que o refrão da música " Loser", juntamente com o seu riff inicial, foi um dos momentos musicais que marcaram a década de 90 e " Mellow Gold", assim como o excelente " Odelay" estarão bem acima nos top's dos álbuns mais importantes dessa década. Posteriormente, segui sempre com muita atenção, e admiração, a obra do Beck, gostava da construção/desconstrução da sua personagem que fazia a cada álbum que editava e dos sons, quase inimagináveis que ele me mostrava.
Todos os álbuns existia um Beck diferente, e isso agrada-me bastante um músico não querer estar a fazer sempre a mesma coisa, mesmo que, por vezes, lance álbuns piores do que os outros.

Mas, em 1999, depois do maravilhoso " Mutations", lançou " Midnight Vultures", álbum esse que, além de ter uma das capas mais horríveis que conheço, não me agradou lá muito. Depois veio " Sea Change", um álbum muito mais calmo e relaxado, onde tem canções fantásticas mas...gosto mais do Beck irrequieto, penso que a sua voz se coaduna melhor com o tipo de música mais "mexida". De seguida, vieram " Guero" ( um pouco desequilibrado) e " The Information"( este melhorzinho, mas mesmo assim não apreciei muito), mais parecia que Beck estava a virar-se demais para o hip-hop e tinha-se esquecido do rock e do pop e isso não me agradou lá muito tendo-o "abandonado". Até que este ano Beck lançou este album,



e posso dizer que agora fiz as pazes com a sua música. Este sim, é o Beck que sempre apreciei. Apesar de ainda não ter deixado de lado a componente electrónica, e Beck sem electrónica não seria Beck, " Modern Guilt" é um álbum de rock'n'roll, de muitas guitarras, bem ritmado e dançante, embora, percebe-se, faça muitas vénias ao grande " Ok Computer" dos Radiohead. Tem lá canções fantásticas, e só é pena ser tão curto.

E, provavalmente, estará na altura para eu fazer revisão da matéria dada por Mr. Beck Hansen, pelo menos é o que ele me deu vontade de fazer depois de ouvir este excelente álbum. Aqui fica uma das minhas canções favoritas, a tal que tem um cheirinho de Radiohead, num vídeo retirado do Youtube. Adoro aquele ritmo da bateria. No Vesúvio Jukebox rola uma grande recordação dos meus tempos do secundário, aqui numa versão mais rockeira.



já agora espreitem aqui a versão desta música ao vivo.

( Em azul estão links para os albúns, myspace e site do Beck)

2 comentários:

Tânia disse...

Momento de discórdia*: Detesto Beck.
Daqueles ódios de estimação. Daqueles que, mesmo que seja muito bom, nunca estarei predisposta para o ouvir. Não consigo, pronto.


*algum dia tinha de ser ;)

Beijinho

Menphis disse...

Nem uma musiquinha assim mais de embalar ? É que Beck também as tem :) Mas, tenho quase a certeza, que se ouvisses uma ou outra irias gostar :)