4 de agosto de 2008

Herbie Hancock nos Jardins do Palácio de Cristal

A noite estava amena, bem agradável, pronta para receber espíritos livres e mentes abertas enquanto os corpos, mais ou menos, bronzeados esperavam dançar ao som de um ritmo relaxado e conciliador.

O local é dos melhores onde se pode estar, tranquilo, rod
eado de árvores centenárias, de sítios para repousar corpos cansados, de esconderijos, de vistas sublimes sobre as cidades que o recebem, uma beleza imensa que me faz ser um dos meus locais favoritos da cidade.

Foi este panorama que Herbie Hancock teve, no domingo à noite, frente a um público de todas as idades, mas maioritariamente jovem, num concerto onde mostrou todo o talento que lhe faz ser uma das maiores referências do Jazz. Mas não foi só o seu talento que merece destaque, mas também dos restantes elementos convidados.

É maravilhoso quando o ritmo da música flui pausadamente, inebriando quem a ouve atentamente, os músicos, mais uma vez, sublinhe-se, todos de categoria superior, quando puxam a si o foco principal esmeram-se dando um espectáculo irrepreensível, muito profissional, extremamente bem disposto e muito comunicativo, podendo-se dizer que Herbie Hancock, além de ser um excelente músico, é um excelente entertainer.

Ouvir/ver música jazz é sempre bom e relaxado, mas quando o ritmo abranda até ao limite, e, principalmente, quando os corpos começam a se ressentir dos dias agitados da praia e da piscina, de comer à pressa, do stress de ver a hora a apertar, começamos a desejar que não se instale a monotonia e que os ritmos mais dançantes apareçam. Por momentos, confesso, desejei repousar o corpo na relva e deixar-me fluir, mas depois quando o ritmo acelera o cansaço desaparece e somos levados para outro lugar. E quão belos são esses momentos.

Próxima paragem musical nocturna: rock'n'roll à beira mar.

1 comentário:

looT disse...

Foi uma noite muito bem passada na companhia de Herbie Hancock e dos excelentes músicos que o acompanham.
A repetir.

Abraço