6 de julho de 2008

Vitória épica


Quando um jogo de ténis dura quase 5 horas, teve duas interrupções pelo meio por causa da chuva, o adjectivo para definir esse jogo é apenas um : épico. A partir daí, só apenas dá vontade de perguntar duas coisas: a primeira pergunta é : não dá para vencer os dois ? A segunda é : para quando um outro jogo assim ?

Por mim, estaria ali horas e horas a ver um jogo extraordinário como este, de dois verdadeiros campeões, dois lutadores, que sofreram muito e aguentaram a pressão psicológica e sempre fisicamente no auge parecendo estarem preparados para jogaram durante mais 5 horas.
Apesar de tudo, Rafael Nadal mereceu. Teve o jogo na mão por 3 vezes, poderia tê-lo terminado muito mais cedo, mas Federer também é um grande campeão e deu tudo por tudo. Mas vibrei com a vitória de Nadal, pelo trabalho que realizou e por ter feito um campeonato sem mácula. E logo eu que não consigo dizer qual é o meu tenista favorito dos dois e fico sempre indeciso quando jogam um contra o outro...pronto, admito que prefiro ver Nadal a vencer pela paixão que ele demonstra a jogar, mas Federer é um grandissimo campeão. Por isso deleito-me com o jogo que eles proporcionam. Definitivamente, Espanha está na moda. Olé.

PS: De facto, o que menos deu gosto de ver nesta partida foi a atitude de " menina enjoadinha e mimada da Gwen Stefani". Mais valia ter deixado o Gavin Rossdale ir ver o jogo sozinho, e ele sofreu tanto pelo Federer, e ela ter-se perdido nas compras em Wimbledon.

2 comentários:

susana disse...

foi, de facto, um grande jogo e confesso que fiquei um bocadinho mal-disposta com a derrota do Federer (e, sim, o ar da Gwen era de um fastio impressionante)

Tânia disse...

Eu não vi o jogo, tou "à parte" das polémicas da Gwen. ;)
Mas fiquei tão contente... Mas mesmo!! Lá está o Federer a perder o poderio que detinha na relva. Mais um bocado e vai-se...
E a Tânia bate palmas... LOL