27 de outubro de 2010

DE CARA A LA PARED

 foi talvez a nossa última canção.

oiço ainda os corpos a vincar a noite,
um campo minado de corações tristes
explodindo o rosto na parede.

muitas músicas depois
quando as paredes eram já outras
e nas caras se perdiam novos nomes

voltei a ela: ficara-me sempre, afinal,
um terrível verso solitário
e a culpa de a ter levado

a um coração onde as canções
morreriam de frio.

[in small song, de Renata Correira Botelho, Averno, 2010]

 
 
O livro já cá canta. A música atenua a saudade. 

3 comentários:

tonsdeazul disse...

Lindíssimo este poema! Não conheço a autora. Gostei muito da capa do livro.
Adoro Lhasa. As suas músicas ficarão eternas.

Menphis disse...

Descobri esta autora e este livro no jornal Público de 6ª feira, interessou-me alguém dedicar poesia à Lhasa, uma artista que adoro. Depois de pesquisar consegui encomendar o livro directamente para a sua editora e chegou ontem. Ainda não o li com a atenção que merece mas à primeira vista tanto os poemas como algumas das ilustrações lá incluídas são de enorme qualidade. Depois falo mais dele.

tonsdeazul disse...

Então vou ficar a aguardar, Menphis. :)