2 de fevereiro de 2009

Vicky Cristina Barcelona


Um brilhante ensaio sobre as relações humanas, principalmente, sobre aquilo que esperemos sobre o outro, quando falamos de amor. Um Woody Allen verdadeiramente descontraído, com imenso salero e estilo, a falar de coisas sérias com uma pitada de humor.

PS: Embora quase toda a blogosfera esteja ao lado de Rebecca Hall ( ok, ela domina o filme, tem um sorriso leve, etc) continuo a dizer: Scarlett é a Diva.

7 comentários:

Cristina disse...

Olha outro babado pela Scarlett... lol

Por acaso, tenho visto grandes críticas é à Penélope a propósito deste filme. Não vi ainda, porque não sou muito fã do Woody, mas parece que vale mesmo a pena.

wasted blues disse...

Eu preferi, neste caso, a Penélope!

Menphis disse...

Sim, a Penelope faz um grande papel, não é à toa que está nomeada para um Oscar, mas eu estava em falar noutros termos ;)

Carriço disse...

A Scarlett, além de não a considerar musa - a já eu tenho :) - teve um pecado que me custa perdoar-lhe: a versão de Last Goodbye, de J.Buckley. Ela não canta mal (então se o termo de comparação for eu...), mas acho que era versão para se cantar entre os amigos. :)

Abraço

Menphis disse...

Pior são aqueles versões que ela fez de Tom Waits..a do Jeff, penso que até escapa um bocadinho :)

pelo menos, as divas também têm defeitos :)

Maria del Sol disse...

Sinceramente continuo a preferir a Rebecca Hall. Sei que são exigências do guião, mas a Scarlett parece ligeiramente tolinha e acriançada, presa a um estereótipo.

Em todo o caso é um filme agradável e que apesar de alguns reducionismos sobre a cultura dita espanhola (a Catalunha e as Astúrias têm tradições diferentes e isso não é referido em nenhum momento) não trata as personagens do Bardem e da Penélope como clichés. E, claro, tem Barcelona. :)

Pedro disse...

Adorava ir ver este filme. Acho que é bastante fresco e descontraído de se ver, algo diferente.