16 de agosto de 2008

Wall-E

Muito divertido, com interessantes mensagens, quer no relacionamento entre os humanos e a Terra, quer nas próprias relações entre os humanos, o filme " Wall-E" confirma todas as expectativas criadas pelo massivo marketing à sua volta.

É interessante ver como num filme onde os diálogos são realizados mais através de sons do que frases, consegue manter o interesse do espectador nunca caindo no aborrecimento, antes pelo contrário, fazendo lembrar os "filmes-mudos" de Charlie Chaplin e Buster Keaton. Aliás, penso que até seria a maior influência para os técnicos da Pixar aquando da realização do filme.

O filme é bastante engraçado, estamos sempre de sorriso nos lábios, tem um ritmo muito bom, uma banda sonora surpreendentemente interessante e que irá, certamente, agradar a todos. Miúdos e graúdos.

É claro, que ir ver o filme com tão boa e bonita companhia sempre ajuda, principalmente quando ela está disposta a aturar atrasos inadmissíveis ( bem, não tanto inadmissível, foi devido a um imprevisto do trabalho que eu não costumo ser assim.), esquecimentos de chaves no cinema, entre outras trapalhadas . Como uma verdadeira personagem despassarada quase retirada do filme. Que imagem vergonhosa dei de mim !!! Quanto ao filme, merece ser visto e tomem a atenção à curta-metragem antes do mesmo.

3 comentários:

desnorteada disse...

foste ao cinema com o "monstro das pipocas" e achas que é "tão boa e bonita companhia"? :D 'tou a brincar... não fiquei com nenhuma ideia errada de ti... foi muito divertido. Obrigada pelo serão! ;) Agora venham os concertos...

Beijinhos

Menphis disse...

Pronto, conheci um ponto fraco teu e conheceste um ponto fraco meu. Estamos empatados :) nos concertos vamos ver quem desempata isto ;)

Beijoquitas.

Menphis disse...

...se bem que o teu ponto fraco é mais doce e saboroso. LOL.