29 de abril de 2008

Ser ou não ser analógico ?

" Sou um dos homens analógicos neste tempo virtual. Tenho medo de fazer compras pela net, ainda compro discos e DVD e recuso-me instintivamente a utilizar Kapas num sms. A aldeia global é um avanço lindo mas por vezes a vizinhança assusta-me." Luís Filipe Borges in Tabu ( suplemento do Jornal Sol desta semana )

Pela minha parte, e vista desta perspectiva, eu também sou um homem analógico.E tu ?

8 comentários:

Carriço disse...

Aos kapas resisto e resistirei. Às compras pela net já recorri. Poucas vezes, mas recorri. Já comprei discos em lojas que não emitem factura (daquelas que todos conhecemos), mas também compro - e cada vez mais - em lojas que as emitem. :)
Assim sendo, mantendo a analogia, nem sou analógico nem digital. Ou sou os dois, dependendo dos dias.

Saudações

Canochinha disse...

Acho que não sou muito analógica, tirando a questão dos "k". Compras na net faço na boa e já não compro CD nem DVD :)

H4rdDrunk3r disse...

Eu tb sou pouco analógica... Desculpa, Menphis*

looT disse...

Como disseram no Californication, "és um homem analógico num mundo digital".
Eu também sou mais analógico e apesar de me querer integrar mais em algumas áreas do digital (compras na net por exemplo) quero que exista sempre uma pçarte analógica dentro de mim, não a dispenso.

Abraço

desnorteada disse...

analógica... sem dúvida! :)

Maria del Sol disse...

Exceptuando os bilhetes de avião das companhias low-cost (e mesmo esses é porque não tenho escolha), continuo a ser analógica. Ou, numa perspectiva mais literária, nostálgica. ;)

Menphis disse...

Confesso que, apesar da primeira coisa que faço é ripá-los e transformar em mp3 para o inserir no Ipod, compro muitos cd's/dvd's e o mais estranho é que estão a ser cada vez mais. É claro que existe a "outra maneira", a da partilha de ficheiros, mas se eu gostar mesmo do grupo tenho de o ter em cd. Sou fã mesmo do objecto CD, acho que só assim é que a minha paixão pela aquela música é que se transmite, de outra maneira é apenas uma banda que gosto, dá para passar o tempo, mas depois fica esquecida nos megabytes e na pasta de reciclagem do meu pc.

Ema disse...

pelos vistos também sou uma mulher analógica. e adoro pessoas analógicas.