21 de abril de 2008

Changes

"Todo o mundo é composto por mudança", lá diz o poeta, e é verdade. À medida que vamos envelhecendo, provavelmente a frase correcta seria " à medida que vamos amadurecendo", sentimos isso cada vez mais, que as mudanças no nosso quotidiano são rápidas, nem damos por elas e só quando paramos para reflectir é que temos a noção disso, por isso temos de viver, cada vez mais, o momento.

Ainda hoje, a vida de um grande amigo poderia mudar num minuto para outro, um exame, que se previa fácil e sem problemas, complicou-se e, num minuto, que se prolongou por alguns minutos, todos os sonhos e esperanças num futuro poderiam terminar ali na cama de um hospital, mas, felizmente, tudo se resolveu e agora resta-lhe apenas emendar os erros que lhe proporcionaram um valente susto.

No outro dia, estive com um casal amigo e eles recordavam-me que à um ano atrás, estávamos todos juntos num casamento de um amigo comum, depois de me despedir deles, pensei que o tempo nem passou muito depressa, mas a minha vida, e das pessoas que me rodeiam, mudou imenso.

É o que sinto ao rever fotografias antigas, como nós mudamos, como a nossa vida é diferente, como os miúdos cresceram, mas, penso eu, a minha maior questão é mesmo compreender se gozei, ou gozo, estas mudanças que se proporcionaram na minha vida e se estive, e estou, preparado para outras mudanças que possam vir a acontecer no futuro. Como disse Boris Vian
" corremos com toda a força para o futuro e vamos tão depressa que o presente nos escapa e a poeira da nossa corrida nos esconde o passado".

Mas, como costumo fazer sempre essa reflexão por altura do meu aniversário e ele ainda vem, mais ou menos, longe e ainda muitas coisas vão acontecer, nessa altura farei uma reflexão mais profunda das mudanças que aconteceram na minha vida. Mas, para já, tenho um saldo positivíssimo e isso é o mais importante.

Apesar de não parecer muito, isto também tem a haver com a mudança de template no blog, porque o outro já me cansava e também porque neste quero mostrar mais coisas de mim, escrever mais sobre mim, e dos que me rodeiam, daquilo que observo, do que vou vivendo, ou até o que vou imaginando, como se a minha vida fosse um desfile de histórias . É como se fosse um fase nova na vida deste blog, mas mantendo coisas do outro.

A altura escolhida para mudar é que não foi a melhor, isto de mexer em html, #33500C4, de descodificar códigos informáticos, de experimentar coisas quando se é um simples curioso, até é engraçado, mas é necessário uma maior disponibilidade, ainda por cima num fim de semana onde não se quer perder pitada de ver o melhor jogador de ténis de sempre a jogar em Portugal ( aquela final estava a ser grandiosa, depois fiquei desconsolado...). Mas isto com o tempo vai-se completando e, espero eu, melhorando. Espero que gostem. Ou que continuem a gostar.

3 comentários:

Carriço disse...

Sou suspeito, mas esta mistura cinzento/azul resulta muito bem. O branco achei demasiado vazio. De resto, está como deve estar: simples, limpo, agradável à vista. Os acertos que dizes estarem em falta certamente não estragarão o que até aqui foi feito. Uma boa mudança, em resumo.
Também eu já tive mais tempo para essas curiosidades html, agora nem me atrevo a mexer, uma vez que qualquer engano me levaria mais tempo do que aquele que tenho disponível para correcções.

Quanto às mudanças que experimentamos no decorrer da vida, são inevitáveis e inesperadas. O que hoje é certo, amanhã já se perdeu e o contrário também é possível.
O tempo é um carro novo sem a marcha-atrás, dizem os Donna Maria. Dizem bem. Resta-nos abrir o vidro, respeitar a sinalização e apreciar a viagem.

Abraço

Tânia disse...

Eu gostei muito. Surpreendeu-me, já estava muito habituada ao outro template, mas não me desiludi.

Quanto ao resto, é viver um dia de cada vez como eu. Cada vez fazer menos planos para o futuro, porque de vez em quando vêm aquelas vagas que nos arrasam, que arrastam consigo o bom que temos da vida e que só nos deixam destroços. E depois ter de recomeçar de novo, mas sempre com os olhos atrás a ver se a nova vaga se aproxima, é sempre difícil.
Nem vou começar a desenrolar o meu rolo de chorrilhos, conheces o pior deles. Mas viver custa. E cansa. E desilude. Quando menos se espera. Por isso tem de ser mesmo assim. Viver um dia de cada vez. Sem pensar muito.

(que amargo para reinício de encontro... )

Bem, uma beijoca**

Menphis disse...

Carriço - " Resta-nos abrir o vidro, respeitar a sinalização e apreciar a viagem"...ora nem mais, mesmo que às vezes essa viagem nos traga dissabores é necessário força para que não façamos marcha-atrás .Um abraço

Tânia - fico contente por estares de volta. No fundo, sempre tiveste aqui. Eu, embora seja uma pessoa positiva, compreendo a razão da tua "visão" da vida. Para isso, espero que continues a ter força para lutar contra todas as coisas más que ela nos dá. E viver um dia de cada vez é o melhor que temos a fazer.

Um beijinho