19 de março de 2008

Próxima leitura:

"Quero uma vida em forma de espinha
Num prato azul
Quero uma vida em forma de coisa
No fundo dum sítio sozinho

Quero uma vida em forma de areia nas minhas mãos
Em forma de pão verde ou de cântara
Em forma de sapata mole
Em forma de tanglomanglo
De limpa chaminés ou de lilás
De terra cheia de calhaus
De cabeleireiro selvagem ou de édredon louco


Quero uma vida em forma de ti
E tenho-a mas ainda não é bastante
Eu nunca estou contente"

" Cantilenas em geleia " de Boris Vian


1 comentário:

desnorteada disse...

hmmmm... isto promete! ;)