2 de novembro de 2008

Doçuras & Travessuras

Na noite de Halloween ( haverá noite temática mais, como hei-de dizer para não ficar mal visto, parva do que esta ? Ou só sou eu que pensa isso ?) dediquei-me a ver dois filmes ( podem ver os trailers carregado em cima dos nomes) que já à algum tempo queria ver, primeiro começamos com um travessura

Hard Candy


Apesar da doçura do seu sorriso, Hard Candy revela uma Ellen Page ( a miúda do maravilhoso "Juno") com uma tendência para fazer travessuras. E que travessuras maldosas ela faz ! Nada mais, nada m
enos, do que deixar ser apanhada por um pedófilo, através num chat na internet, seduzi-lo e depois...bem, depois o melhor é ver o filme, mas posso dizer que o coloca num beco sem saída de forma fantástica, quando pensamos que ele está livre, eis que surge mais um trunfo debaixo da manga dela, Ellen com a sua mistura de um ar inocente com psicótico consegue arrancar uma interpretação fabulosa. O filme é um thriller psicológico sempre a jogar nos limites, funcionando bastante bem para quem tem, a maior parte do filme, apenas duas personagens e se passa numa casa. Aconselhável para quem gosta deste género de filmes.

e agora, a doçura. A maravilhosa doçura
de

Lars and the Real Girl

Ryan Gosling ( actor de " Half Nelson", confirmando o seu grande valor) é Lars, um homem solitário, bastante tímido, que tem medo de ter uma vida social, apesar de várias tentativas do seu irmão e cunhada para o socializar e de ter uma nova amiga de trabalho que se faz a ele descaradamente. Até que um dia procura a companhia desejada encomendando uma...boneca. E agora, pensam vocês, então deve ser daquelas comédia para não parar de rir ? Eu diria...não ! Ou melhor, talvez seja uma comédia, mas, é uma comédia dramática. Porque, à medida que o filme avança, apercebemos-nos que o que ele nos mostra é a imensa solidão interior que impede Lars ser feliz. É de solidão que aqui se fala, da dificuldade de lidar com a falta de amor, de amores não correspondidos, de olhares perdidos à espera de serem encontrados, e de um acto desesperado de quem quer amar e ser amado.
Apesar de todas as reticências, a boneca é aceite por toda a comunidade, até lhe arranjam um emprego e tudo, com isso mostram a Lars que afinal não está assim tão só no mundo, e há quem goste muito dele, e quem o compreenda.
Se pudesse definir o filme numa só palavra diria, sem hesitar, "ternura" , é uma ternura imensa que habita em todo o filme que nos emociona e nos conforta.É a amostra que, apesar de todos os nossos defeitos e manias, existirá sempre alguém que nos compreende, é uma questão de nos mantermos atentos. Para ver, urgentemente, este filme merece ser visto por todos.

4 comentários:

Maria del Sol disse...

Sobre os filmes já falámos ontem, mas nunca é demais reforçar que estou ansiosa ver essa prestação tão aclamada de Ryan Gosling.

De resto, passei por aqui para te deixar uma informação completamente off-post, mas que julgo ser do teu interesse: http://www.musica.optimus.pt/homepage/OffTheRecord/Detalhe/Reportagem/48

Não te esqueças de passar a palavra. :P

Beijinhos e boa semana!

Maria del Sol disse...

http://www.musica.optimus.pt/homepage/OffTheRecord
/Detalhe/Reportagem/48

(no comentário mais acima o link aparece cortado)

looT disse...

Eu ando a precisar de tirar a barriga da miséria no que toca a cinema ultimamente :P

Estes são dois filmes que quero muito ver :)

dolphin.s disse...

olha que não sei se o dia dos namorados não ganha ao hallowen em parvoíce.

pelos menos as bugigangas do hallowen são mais giras :P