19 de maio de 2009

Quase um poema de amor

Há muito tempo já que não escrevo um poema
De amor.
E é o que eu sei fazer com mais delicadeza!
A nossa natureza
Lusitana
Tem essa humana
Graça
Feiticeira
De tornar de cristal
A mais sentimental
E baça
Bebedeira.

Mas ou seja que vou envelhecendo
E ninguém me deseje apaixonado,
Ou que a antiga paixão
Me mantenha calado
O coração
Num íntimo pudor,
--- Há muito tempo já que não escrevo um poema
De amor


Miguel Torga

2 comentários:

H4rdDrunk3r disse...

o amor... sempre o amor.

Toni Delmar disse...

http://www.myspace.com/tonidelmar


"Deixa-me Vir"

"SadomasoQ"

"Odeio-te para Sempre"



Músicos que nasceram para fazer de si, um ser humano mais feliz!