3 de dezembro de 2008

Este frio da manhã

Punhos cerrados nos bolsos para tentar aquecer as mãos geladas, ( mas nunca as consigo aquecer ), cachecol aconchegado junto ao pescoço fazendo lembrar caricias esquecidas no tempo, casaco apertado até cima, respiração o mais tranquila possível, como se isso impedisse de respirar o frio que quase me corta em dois, braços encolhidos junto ao corpo parecendo que estou a dar um abraço acolhedor a mim próprio.

Como (quase) tudo o que é bom termina depressa, regresso à rotina diária depois de uma semana de descanso. Observo, curioso, as pessoas na rua, os seus movimentos apressados, os seus olhos meio sonolentos, os seus sorrisos já despertos, as mil e uma maneiras de se agasalharem, oiço os "Olá, Bom dia. ", e o " Bom dia. Que frio, não está ?" , o assunto gira à volta do mesmo. O frio. Este frio da manhã.





2 comentários:

pipinha disse...

pois e meu lindo o que e bom acaba depressa ....mas antes o frio do que esta chuva irritante que nos molha ate a alma!!!

Cristina disse...

Eu não convivo nada bem com o frio. Falei disso mesmo hoje no blog. Uma pessoa não sabe como se aguentar e se eu me queixo, imagino o que sofre quem vive na rua ou não tem tanto como eu.