4 de dezembro de 2008

24 - A redenção de Jack Baeur

Jack Bauer nasceu para a salvação e para o sacrifício. Para a salvação de uma causa dos justos não olhando a meios, sacrificando-se a si próprio e a todos que o rodeiam pelo objectivo o qual traçou defender, custe o que custar. Ele nunca se rende. O mundo, provavelmente, seria mais seguro com um Jack Baeur em todo o lado. Ou talvez não, mas, como diz a Teresa Guilherme, isso agora não interessa nada.

" 24 - Redemption" é um episódio que faz a ligação entre a 6ª e a 7ª temporada de uma das séries que mais aprecio ver ( acima dela, talvez só os grandes The Sopranos) e foi transmitido na RTP2 nesta 4ª feira.

O episódio, alargado de duas horas, funciona com uma introdução à nova temporada que será transmitida apenas em Janeiro de 2009. E posso dizer que é uma introdução espectacular.

Ele consegue criar o tal efeito de " stress psicológico" sobre o telespectador, sempre a tentar adivinhar o que vai acontecer a seguir, que esta série tão bem sabe fazer. Depois abre várias pistas para aquilo que vamos encontrar na próxima temporada, apresenta-nos novas personagens ( como por exemplo, o episódio passa-se no dia da tomada de posse da 1ª presidenta dos EUA, o que não deixa de ser curioso, já que na temporada anterior o presidente foi o primeiro...negro a ser eleito.) e transporta-nos para dentro da história de tal forma que ficamos ansiosos para que a temporada comece o mais rápido possível. Ou seja, cumpre claramente o seu objectivo.

E como não existe a necessidade de "encher chouriços", o ritmo e a velocidade que é dada à história é de tal forma vertiginosa, que até temos medo de ter perdido algum momento importante para o desenrolar da trama.

Mais uma vez, Kiefer Sutherland está em grande e, mais uma vez, a personagem Jack Baeur anda à solta, invencível e obcecado pela defesa dos inocentes. Nunca mais chega Janeiro de 2009.


3 comentários:

Tânia disse...

Eu também adorei. Ainda bem que vamos para África ;), fiquei realmente em pulgas e já não tinha muita paciência para os terroristas a atacar os states. E o Kiefer é realmente extraordinário. Mas também é por isso que é o actor mais bem pago da televisão :)

Maria del Sol disse...

Eu confesso que depois da primeira temporada me fartei da fórmula "vira-o-disco-e-toca-o-mesmo" que tem pautado esta série.
Tudo bem que a particularidade de ser seguida ao minuto acrescenta algum suspense, mas ao fim dum certo número de episódios a acção desenfreada não chega para compensar um argumento cada vez mais árido. Espero que a nova temporada não repita os velhos erros, senão desconfio que não me vai prender.

wasted blues disse...

Gosto bastante de 24 e até à 5ª season acho que soube manter o ritmo e a qualidade. Claro que há sempre alguns episódios lá pelo meio que não acrescentam muito à história mas, no geral, gostei bastante das seasons (especialmente 2ª e 5ª).

Na 6ª caiu em alguns clichés e só vi por consideração às anteriores. Mas este episódio deixou-me com esperança em relação à 7ª! :)