19 de julho de 2012

Optimus Alive

Era publicitado como o "melhor cartaz de sempre", mas de todas as vezes que fui, e com esta já foi a minha 3ª vez, o Optimus Alive 2012 foi o cartaz menos apelativo daqueles que assisti e aquele em que o meu entusiasmo se concentrava em apenas 2/3 bandas e a curiosidade em outras tantas.
No mesmo recinto onde vivi emoções que nunca mais me irei esquecer, em que vi grupos que me disseram/dizem tanto como os Rage Against the Machine, Bob Dylan, Neil Young, The National, Florence and the Machine, Vampire Weekend, Manic Street Prechears, Pearl Jam, entre muitos outros, apesar de ter assistido a alguns bons momentos musicais, este festival vai ficar marcado com a recordação de, principalmente, 3 grandes concertos: The Cure, Radiohead e, o melhor de todos, Mumford & Sons. Depois ainda vi e gostei The Warpaint e The Macabees, e achei pouca graça à troca da Florence pelos Morcheeba.

Os The Cure foram como se esperavam, profissionais qb, bons executantes, o Robert Smith está velho e gordo, mas ainda canta que se farta e com categoria. Os Mumford & Sons mostraram que são das bandas mais interessantes do momento, tinham, surpreendentemente uma legião de fãs que os acolheram com um enorme entusiasmo, ao que eles responderam com um grandíssimo concerto. Quanto aos Radiohead que tanto povo levaram ao Alive, demonstraram que, apesar de não terem feito mais álbuns como o"OK Computer", são das bandas mais fortes e mais vibrantes ao vivo. Passe a semi-desilusão de ter faltado mais canções do álbum que é uma verdadeira obra-prima, eles corresponderem as expectativas de toda a gente que saiu a sorrir e viveu alguns momentos mágicos.

Para o ano há mais, esperemos com um cartaz bem mais equilibrado do que este ano e sem desilusões como a ausência da Florence. See you, Alive.

3 comentários:

Loot disse...

O ano do Dylan foi o melhor cartaz do Alive. Que 3 dias soberbos, foi mítico, para sempre recordar.

Este ano só fui ao 3º dia, precisamente pelos Radiohead. Podiam ter tocado mais claro por nós ficavam lá 4 horas :P

Abraço

Menphis disse...

2008 foi mítico.

tonsdeazul disse...

Gostei bastante dos The Cure, que mesmo não sendo fã deram um concerto vibrante de 3 horas. Também não gostei nada de Morcheeba, principalmente porque queria muito ter visto Florence e adorei o concerto dos Mumford & Sons. Foram muito bons e o público correspondeu. Nem esperava encontrar tantos fãs!

No último dia, claro, foi fabuloso esperar pelos Radiohead. Pena foi haver tanta, tanta gente... Considero que se perde um pouco de qualidade em tudo. E depois também adorei ver os The Kills. Deram um concerto brutal!

P.S. Aguarda-te um concerto fabuloso hoje! Para mim foi mesmo único! ;)